quinta-feira, 9 de abril de 2015

Artigos Relacionados × +

A escravidão do Elfo Domestico ( Harry Potter)

Por muitos anos eu imaginei de onde vinha a comida que magicamente aparecia nos banquetes em Harry Potter. Por um bom tempo eu acreditei que as vasilhas é que eram enfeitiçadas, e pensava que os bruxos teriam uma incrível magia podendo criar comida do nada (e que isso poderia até acabar com a fome no mundo). Bom, não adianta muito especular, quando as informações sobre a historia serão o que o autor desejar que sejam. Falarei o que diz respeito à escravidão dos elfos sem dar muita importância em contar tudo que acontece no livro, apenas recomendo a quem apenas viu o filme que leia o livro, pois muitas coisas importantes que o filme não passou.



Somente quando li Harry Potter e o Cálice de Fogo é que eu entendi, antes disso eu já sabia que a Hermione criara a F.A.L.E, Fundo de Apoio a Libertação do Elfo Domestico, mas não sabia do que se tratava realmente e o que a motivara. No referido livro enfim pude entender de onde vêm as comidas: são preparadas na cozinha de Hogwarts por Elfos Domésticos. A cozinha está cheia deles e em determinado momento também passam a trabalhar nela o já conhecido Dobby (A Free Elf) e Winky, que também é um elfo doméstico, mas que não aparece nos filmes, embora tenha importância no livro.

Os elfos domésticos têm de servir uma família de bruxos por toda a vida. Eles são confiáveis, leais e muitos até são fanáticos no serviço aos mestres (a Winky, por exemplo). Quando necessário conseguem usar magia incrivelmente poderosa. Elfos domésticos só podem ser libertados da escravidão ao receber um artigo ou peça de roupa do mestre como presente. Nos filmes de Harry Potter apenas dois elfos tiveram destaque: Dobby e Monstro.

Harry Potter e o Cálice de Fogo inicia-se com a Copa Mundial de Quadribol, nos capítulos que envolvem a competição nos são apresentadas cenas com personagens importantes para a trama, dentre eles Ludo Bagman e Bartô Crouch ( chefe do Departamento de Cooperação Internacional em Magia) com sua elfa doméstica, Winky. Hermione irrita-se com o tratamento dado por Bartô a sua elfa, a princípio por ele a obrigar a ficar na arquibancada muitíssimo alta guardando seu lugar no momento do jogo, mesmo sabendo que ela tem pavor de altura. Depois de incidentes perigosos e alarmantes envolvendo comensais da morte mascarado e que culminou com alguém conjurando a marca Negra no céu, Winky foi encontrada na floresta portando a varinha de Harry Potter e sendo acusada de ter conjurado a marca. Bartô, como um cão raivoso e afastando de si qualquer apontamento, trata a elfa de forma grosseira causando comoção e revolta em Hermione. 

Até o evento da copa mundial Hermione não sabia da presença dos Elfos em Hogwarts, foi o fantasma Nick que lhe deu a informação:


_Tem elfos domésticos aqui? – perguntou, encarando Nick quase sem cabeça com uma expressão de horror. - Aqui em Hogwarts?
_ Claro que sim disse o fantasma, parecendo surpreso com a reação da garota. - O maior número que existe em uma habitação na Grã-Bretanha, acho. Mais de cem.
_ Eu nunca vi nenhum! – Exclamou Hermione.
_ Bom, eles raramente deixam a cozinha durante o dia, não é? Saem a noite para fazer a limpeza... Abastecer as lareiras e coisas assim... Quero dizer, não é esperado que fiquem a vista. Essa é a marca de um bom elfo doméstico, não é, que não se saiba que ele existe.
Hermione abomina a escravidão. Desejou que os elfos tivessem salário, férias e plano de saúde. Com esse intento fundou a F.A.L.E. Ela faz uma porção de distintivos do fundo e tenta convencer mais pessoas a aderirem à ideia (o que não da muito certo). Nem mesmo Hadrig a apoia, todos aceitam como normal a escravidão e parecem acreditar piamente que os elfos gostam de ser escravos, os próprios elfos não declaram o contrario. Com exceção de Dobby, todos os outros elfos acham a liberdade uma coisa terrível e indesejável. Hermione acredita que eles pensem assim porque a opressão implantou isso na mente deles.

Com informações obtidas com os gêmeos Weasley Hermione conseguiu localizar a cozinha de Hogwarts:

A garota tornou a agarra-lo pelo braço, puxou- o para diante do quadro da fruteira, esticou o dedo indicador e fez cócegas na enorme pera verde. A fruta começou a se contorcer e rir e, de repente, transformou-se em uma grande maçaneta verde. Hermione segurou-a, abriu a porta e empurrou Harry pelas costas, com força, obrigando-o a entrar.

Quando chegou a cozinha Harry, Rony e Hermione encontraram Dobby, Winky e vários outros elfos domésticos. Bartô Crouch havia dispensado sua elfa, Winky, depois do episodio na copa mundial e Quadribol. Sem rumo para seguir na vida, ela se juntou a Dobby e juntos foram trabalhar em Hogwarts. Dobby que aceitou sua liberdade trabalhava em troca de um salário, enquanto Winky (e todos os outros elfos) tinham total aversão a essa ideia. Hermione tenta convencer os elfos de buscarem direitos trabalhistas, mas só consegue ser ‘convidada’ a se retirar da cozinha por elfos alvoroçados.

A luta de Hermione pelos elfos em Harry Potter e o Cálice de fogo não surtiu muito efeito. No entanto serve para que o leitor reflita sobre esse e outros assuntos importantes tratados no livro. Como o preconceito a meio-gigantes, lobisomens e bruxos que não tem o sangue puro que demonstra que mesmo no mundo da magia há os preconceituosos e hipócritas. A perseguição apresenta em Relíquias da Morte relembra perfeitamente a perseguição promovida pelos nazistas aos judeus. É considerável o papel que a autora presta a sociedade ao trabalhar com temas assim dentro de seus livros. 

Você irá gostar

A escravidão do Elfo Domestico ( Harry Potter)
4/ 5
Oleh

13 comentários

Escrever comentários
avatar
11 de abril de 2015 12:25

Oie
Gostei bastante desse artigo. E realmente, muita coisa que está nos livros de Harry Potter são coisas que muitas vezes acontecem na vida real. Apesar de ser um livro de fantasia, tem muita coisa que podemos tirar dele como "lição". Quando li os livros e vi isso, dos elfos trabalhando lá, fiquei meio dividida. Eles gostavam de trabalhar em Hogwarts, eram felizes lá. Exceto a Winky, claro. Fiquei super dividida e não sabia se apoiava a Mione ou não. Claro que os elfos merecem diretos. Muitos donis os maltratam, os tratam mal. E eles deixam.... E não sei dizer se é porque eles realmente são assim ou porque passaram tanto tempo dessa forma que já não sabem mais como viver...

Responder
avatar
11 de abril de 2015 12:41

Eu também fiquei dividido. Especialmente quando Hagrid não a apoiou. Uma vez que ele tem uma sensibilidade maior pra entender as criaturas e ja lida com o preconceito que sofre por ser um meio-gigante, mas eu fiquei pensando nos meus alunos para refletir mais a fundo. Trabalho numa escola onde a maioria dos alunos tem histórico de família desestruturada, um deles especificamente já me assustou algumas vezes com comportamentos impulsivos, violentos e nada infantis. Acredito que a questão de ter vivido acreditando em ideias tortas de certo e errado fazem as pessoas pensarem e se comportarem como se determinadas coisas absurdas fossem normais. O mesmo vale pra casos de seitas religiosas onde as pessoas se sentem bem mesmo que tenham de matar crianças e torturar animais, a sensação de bem estar delas não muda o descabimento dos atos, e como elas acreditam que aquilo é certo dificilmente alguém as convencerá do contrario. Daria pra fazer uma verdadeira roda de debate sobre o assunto rsrsrs Obrigado pela visita :e comentário D

Responder
avatar
11 de abril de 2015 13:36

Oi, eu sempre tive vontade de ler Harry Potter, mas nunca tive a oportunidade. Conheço pouco sobre a história e filme, devo ter visto uns 2 filmes da série, não tenho muito o que dizer pela falta de conhecimento no assunto, mas acho que realmente podemos tirar exemplos dos livros para aprender algo em nossas vidas.
letrasemvida.blogspot.com

Responder
avatar
11 de abril de 2015 15:32

Olá, tudo bem? Realmente os filmes não mostraram como deveriam a vida dos Elfos Domésticos, acho que, inclusive os livros poderiam ter dado um pouco mais de destaque a eles. No começo eu também pensava que tudo em Hogwarts acontecia por mágica e confesso que fiquei decepcionada ao ver que seres vivos eram escravizados debaixo do teto de Hogwarts, mesmo que eles pensem se tratar fé algo normal. Torci para Hermione conseguir dar um jeitinho e melhorar a situação dos Elfos e !!!!!!!SPOILER!!!!!! vibrei com a liberdade de Dobby. Adorei o post, Ainda não tinha visto ninguém abordar o assunto!!

Beijos

Mari
cantinhodeleituradamari.blogspot.com.br

Responder
avatar
11 de abril de 2015 17:43

Adorei o texto e a vertente que você deu, uma leitura ímpar, que a maioria das pessoas não conseguem, mesmo a informação estando lá! Você também traz o diferente para algo já tão debatido da mesma maneira, fugindo do conceito Cartesiano...
http://www.poesianaalma.com.br/

Responder
avatar
11 de abril de 2015 18:34

Eu como sou fanática por HP amei o artigo!! Adoro ver coisas sobre a série, bjus

Responder
avatar
11 de abril de 2015 22:47

Oi Augusto, como eu não acompanho HP e nem sei de nada sobre a série, fiquei meio que boiando no artigo, mas acredito que quem é fã da saga achou super interessante.
Beijos

Responder
avatar
12 de abril de 2015 10:46

Olá!Só quero dizer que amei seu post, por apenas um motivo totalmente válido, que sou loucamente e terrivelmente apaixonada por Harry Potter, então qualquer coisa que fale do seu universo já me prende atenção. Confesso que fiquei meio chateada com descobri que Hogwarts compactuava com a escravidão dos Elfos, mas entendi também, porque isso era algo normal. Assim como teve época de escravidão no Brasil, e até as pessoas boas possuíam. Mas torci e super apoio o F.A.D.E ! Sem falar que um dos maiores heróis da saga foi um Elfo! Dobby!
Adorei seu post
Beijos
cheireiumlivro.blogspot.com.br

Responder
avatar
12 de abril de 2015 12:02

Oláa´
Ah que post legal, adorei a ideia do texto e tudo mais, aliás, oDobby era meu personagem favorito nos filmes, não cheguei a ler os livros mas quero ler em breve, foi um ótimo post.

http://realityofbooks.blogspot.com.br/
Catharina
Beijos

Responder
avatar
12 de abril de 2015 21:28

Oi Augusto, tudo bem?
Nunca li HP e nem vi nenhum filme inteiro pois não gostei, mas achei bem legal a autora abordar o tema da escravidão no livro, mesmo que seja dos Elfos, dá para fazer muita gente refletir.
Bjs

A. Libri

Responder
avatar
12 de abril de 2015 23:43

Oi Augusto, não brigue comigo, mas estou por fora do mundo deste bruxinho, não li nenhum e seus livros e nem vi seus filmes. Talvez por isso não imaginasse todo esta história por trás a história principal.
Bjs, Rose.

Responder
avatar
13 de abril de 2015 06:25

Hey, brigo não kkkkk Estou sempre postando coisas dos universos das sagas. Gosto muito da literatura fantástica! Vai acompanhando, quem sabe você resolve ler rsrs Vale a pena <3 Historias de sagas sempre tem todo um universo por traz delas :D

Responder
avatar
14 de abril de 2015 09:35

É por essas e outras que sou fã fanática pela J.K! Ela consegue abordar vários temas atuais e questiona situações sociais em Harry Potter. Quantas coisas nós não aceitamos calados, simplesmente por a "sociedade" assim julga correto, assim como acontece com a situação dos Elfos na série?
Realmente, são casos para se refletir
beijos
http://meumundinhoficticio.blogspot.com.br/

Responder