sábado, 20 de junho de 2015

Artigos Relacionados × +

Dora Roda

Esta bela historia infantil nos apresenta uma protagonista inspiradora e divertida. Dora é uma menina como as outras têm sonhos e pesadelos, vontades, alegrias, medos, certezas e duvidas. Ela brinca, ela corre, ela ajuda, ela estuda, ela chora, ela ora, ela adora. A menina é cadeirante e seu jeito de ser e de enxergar o mundo revela detalhes preciosos da vida bem vivida. 


A historia coloca o leitor na posição de observador e cúmplice. Embora seja fictícia apresenta informações reais e questionamentos validos. Dora estuda numa escola que é adaptada para recebê-la. Lá ela é amada e respeitada na sua diversidade. Um ambiente com estrutura adequada e pessoas preparadas.

No decorrer da historia Dora nos mostra as dificuldades que afetam a vida das pessoas com deficiência e que são advindas de cidades e sociedades despreparadas. Não são as limitações da pessoa com deficiência que prejudicam sua vida social e sim as dificuldades que os espaços lhes oferecem. As cidades tem se mostrado ineficientes e excludentes, e Dora nos dá exemplos de algumas situações: calçadas esburacadas ou estreitas, orelhões públicos em mal posicionado, falta de respeito e adequação da frota de ônibus coletivo entre outras coisas. 

Dora segue sua vida alegremente até que algo ruim aconteça a sua cadeira de rodas, mas a força da amizade a ajudará a superar esse incidente. 

A escrita e simples e inteligente com uma historia atraente para o publico infantil. Consideraria um livro que já nasceu com uma função social além do “ser livro”, ele trás reflexões e oportunizam às nossas crianças o pensar sobre a diversidade das pessoas ainda em idade tenra. As ilustrações são encantadoras e muito bem colocadas, casando perfeitamente com o texto. 

Uso pedagógico:

Eu decidi usar esse livro em sala de aula. Meus alunos são do segundo ano e estão em processo de alfabetização. Assim meu olhar para o livro teve intenção de buscar neles maneiras de melhor usa-lo no contexto escolar. 

A principio o uso do livro pode seguir um roteiro de acordo com o nível de aprendizagem dos alunos. Se os meus soubessem ler eu pediria que cada um lesse uma parte, como não vou fazer dessa maneira:

- Leitura do livro ( Pelo Professor) 

- Identificação do Nome do livro e do Autor

- Nomes e características dos personagens 

- Quais são as coisas que acontecem na historia?

Há algumas paginas onde aparece apenas a ilustração preenchendo a página e em cima desta uma frase de duas palavras onde uma delas é o nome da protagonista. A escolha das palavras, feita de uma maneira inteligente, contribui para o aprendizado em alfabetização. Vejamos :


DORA RODA/ DORA FORA/ DORA ORA/ DORA CHORA/ DORA ADORA


Dentro dessas palavras posso trabalhar as palavras dentro de palavras ( Dora  > adora> chora> todas tem dentro a palavra Ora). Também se percebe a questão da rima e o uso do erre com diferentes sons. faremos também uma roda da conversa sobre as pessoas com deficiência e o respeito à diversidade humana.

Você irá gostar

Dora Roda
4/ 5
Oleh

9 comentários

Escrever comentários
avatar
20 de junho de 2015 23:41

Que bacana, adorei a sincronia, estou num trabalho para pessoas com deficiência e discutir sobre acessibilidade é importante. Além disso, é fundamental sensibilizar várias áreas de atuação para uma reflexão profunda e materialização ampla de eixos básicos que atendam as pessoas com deficiência. Dica mais que anotada.

Responder
avatar
21 de junho de 2015 15:25

Oi Augusto, tudo bem? O livro parece ser muito bonitinho, e gostei muito da mensagem de inclusão e diversidade, e é ótimo as crianças já terem esse conhecimento desde pequeno. Gostei do jogo de palavras com o nome da protagonista e achei bem legal o trabalho que você vai fazer com seus alunos.

Beijinhos,

Rafaella Lima // Vamos Falar de Livros?

Responder
avatar
21 de junho de 2015 15:54

Oi Augsto! O livro me parece bonitinho e passa um ensinamento bem bacana as crianças, daria com certeza a minha afilhada de 7 anos. Só o nome que me fez lembrar de outro desenho, Dora a aventureira". Não estou dizendo que são iguais, mas me veio a cabeça assim que li.

Bjs!

Cheiro de Livro Nacional

Responder
avatar
22 de junho de 2015 13:33

Olaa
Eu adoro livros infantis entao fiquei curiosa por esse,parece ser bem fofinho e nao conhecia ainda,é uma ótima dica.

Beijos
Reality of Books

Responder
avatar
22 de junho de 2015 17:47

Oi Augusto...
Gostei muito da história desse livro hein, um assunto real, atual e que ao ser tratado desde cedo com as crianças pode diminuir e muito os problemas de violência e bullying no futuro.
Não gosto de livros infantis, mas sem dúvidas daria para o meu primo e afilhado lerem.

beijos
Mayara
Livros & Tal

Responder
avatar
22 de junho de 2015 20:36

oie Augusto eu acho muito importante este trabalho que tu faz apresentando a literatura infantil ainda mais esta que trata de um assunto tão em pauta e ao mesmo tempo ainda tão tabu ... Sou colega sua de profissão e entendo perfeitamente a necessidade de nos debruçar sobre estes temas e realidades para tirar melhor preparar a nós mesmos e as crianças para esta convivência com as pessoas com necessidade especial que eh tão importante. Eu fiz certa vez um conto que é sobre uma centopeia que tinha uma perninha mais curta ..eh bem bacana qlq hora lhe mostro .. bjs
http://florroxapoemasepoesias.blogspot.com.br/

Responder
avatar
23 de junho de 2015 20:41

Oi!
Adorei a proposta do livro, acho incrível quando os escritores abordam a deficiência de forma eficaz e que nos fazem questionar.
Não tenho costume de ler livros infantis, mas de vez em quando compro alguns para os meu sobrinhos, então vou anotar a dica :D
E parabéns pela sua iniciativa de levar o livro para a sala de aula.
Beijos!
www.aculpaedosleitores.com

Responder
avatar
25 de junho de 2015 23:22

Oi Augusto, tudo bem?
A proposta do livro é muito interessante, e a mensagem que passa para as crianças é muito importante.
Irei indicá-lo para algumas primas que tem filhos pequenos!
Bjs

http://a-libri.blogspot.com.br

Responder
avatar
28 de junho de 2015 18:00

Oi, tudo bem?
Adorei que a personagem é cadeirante, especialmente porque o livro é dirigido ao público infantil. Acho que falta muita representatividade na literatura e agradeço por encontrar histórias assim. Acho uma baita ideia usá-la na sala de aula, afinal, a escola é um ambiente onde devemos pregar o respeito e a diversidade. Espero que seus alunos gostem! ;)

Love, Nina.
http://ninaeuma.blogspot.com/

Responder