quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Artigos Relacionados × +

Entrevista com o Autor: Luiz Henrique Batista

Eu falando dele é até sacanagem, o cara escreve exatamente o que eu gosto ler! Ele tem entre as inspirações que compuseram seu estilo de escrita o meu autor favorito, Bernard Cornwell. Sou apaixonado pela maneira como o Luiz Henrique constrói seus personagens e já estou preparando minha documentação pra fazer carteirinha de fã. Com uma escrita envolvente e personagens cativantes, O autor conquista seus leitores com um forte abraço de palavras e os leva por caminhos emocionantes dentro da literatura fantástica. Então hoje a entrevista do Projeto Plena é com ele:



1- Fale-nos um pouco de você. Quem você é? O que te move, inspira e diverte? Qual sua formação?

Sou formado em jornalismo e minha maior motivação é compartilhar da minha imaginação com os leitores. Com "Os Doze Guardiões da Luz" eu escrevi o livro que gostaria de ler, então é incrível para mim receber um feedback positivo de um leitor. Sabe quando você encontra alguém que também leu e adorou um de seus livros favoritos? É algo assim, só que muito, muito mais intenso. 

2- Como se da à relação entre você e a literatura?

Eu demorei um bocado para descobrir a literatura. Fui um daqueles jovens que acaba se afastando dos livros por não ter sido apresentado às obras corretas. Sempre apresentei facilidade para escrever (costumava tirar 10 nas redações da escola, mesmo antes de me tornar leitor), mas só lá pelos 17 anos de idade comecei a escrever histórias com maior frequência e mostrá-las aos meus amigos. Esse foi o primeiro passo para me tornar escritor.

3- Quais são seus livros publicados? Fale-nos um pouco deles e onde podemos compra-los.

Meu primeiro livro é "Os Doze Guardiões da Luz", a história de doze heróis imortais que encarnam os signos do zodíaco. O livro pode ser encontrado em várias lojas online (Submarino, Saraiva, etc) e no site da Editora Novo Século.
Ambientado num mundo de fantasia, "Os Doze Guardiões da Luz" narra as histórias de heróis imortais que encarnam os doze signos do Zodíaco. Séculos após a grande guerra, que expulsou a Escuridão dos reinos do oeste, o povo e os heróis parecem ter se esquecido da ameaça que reside lá fora, além da fronteira das terras da Luz com os países da neblina. Alheios ao alcance dos tentáculos do inimigo, os Guardiões são pegos de surpresa quando a ameaça vem não de fora, mas de dentro do reino, justamente daqueles em quem mais confiavam: eles próprios.

4- Como se deu sua inserção nesse universo literário? Quais desafios encontrou para publicação de seus livros e como os superou?

Como disse, eu costumava escrever descompromissadamente antes de sequer pensar em publicar. O maior desafio foi minha própria falta de conhecimento e contatos: tive que pesquisar muito e correr alguns riscos que, felizmente, repercutiram da maneira esperada. 

5- Que elementos você considera importante na construção de um personagem? 

Na minha opinião, um personagem não é composto apenas de suas características (aparência, personalidade, etc), mas também da maneira como é ele apresentado ao leitor. O mesmo personagem pode ser raso ou profundo, amado ou odiado dependendo da maneira como o autor o apresenta. Quando atende a ambos esses requisitos (características interessantes + apresentação adequada), o personagem inevitavelmente entra na cabeça do leitor. 

6- Quais são os livros e autores que inspiram sua vida? Recomenda-me algum.

O livro que me inspirou a escrever foi "O Inimigo do Mundo", do brasileiro Leonel Caldela. Os que mais influenciaram minha maneira de escrever (em outras palavras: me fizeram descobrir meu estilo e desenvolvê-lo a partir dali) foram "Inês da Minha Alma", da chilena Isabel Allende, e a trilogia "A Busca do Graal", do inglês Bernard Cornwell.

7- Fale-me de seus projetos futuros. Tem mais livros a caminho?

A continuação de "Os Doze Guardiões da Luz" já está saindo do forno!

8- O que significa para você esse efeito mágico que a leitura causa nas pessoas, especialmente nas crianças e nos adultos sonhadores?

Provocar esse encanto pela leitura em outra pessoa é a maior realização de um escritor (na minha opinião, é claro). Ouvir sobre como ele ou ela se envolveu e viveu ao lado dos personagens até a última página... é uma sensação indescritível. 

9- Escolha uma frase ou parágrafo de um de seus livros para nos inspirar. 

Uma frase bem popular do livro:
Não acredito em almas gêmeas. Acredito em pessoas que se sentem atraídas umas pelas outras e que, com o tempo, encontram semelhanças, superam diferenças e transformam essa atração em amor verdadeiro.



Você irá gostar

Entrevista com o Autor: Luiz Henrique Batista
4/ 5
Oleh

16 comentários

Escrever comentários
avatar
2 de fevereiro de 2016 10:51

Sério que a inspiração veio de Bernard Cromwell , então deve ser uma escrita boa mesmo hein! Estou curiosa agora para ler o livro dele.
Um bj
Camila Bernardini Coelho

Responder
avatar
2 de fevereiro de 2016 11:43

Não conhecia o trabalho do autor e fiquei bem curiosa!!! Adoro ler entrevistas de autores nacionais, é uma forma maravilhosa de conhecer novos talentos!

bjs
www.livrosdabeta.blogspot.com.br

Responder
avatar
2 de fevereiro de 2016 20:51

Eu já tinha visto esse livro à venda, mas a capa não tinha me atraído. Mas conhecendo melhor a estória e também o autor, eu agora estou com vontade de ler, pois super fã de fantasia.
Parabéns ao blog pela entrevista e sucesso para o autor.

Bjs.

http://delirioselivros.com.br

Responder
avatar
3 de fevereiro de 2016 01:16

Oi, Augusto
Já tinha visto esse livro por aí, mas, assim como a Patrícia disse acima, a capa também não tinha me atraído, então acabei deixando passar. Mas, agora pude perceber como o autor é apaixonado pelo que faz, então com certeza o livro é um dos bons. Vou procurar para comprar, pode apostar.

Abraço,
João Victor - De cabeça para baixo | All pop stuff

Responder
avatar
3 de fevereiro de 2016 15:13

Olá,

Não conhecia nem o autor e muito menos o livro.
Fiquei mega interessada com a capa, sinopse e bases inspiradoras para a obra.

O autor simplesmente gosta de dois escritores que amo de paixão.

Beijos!
http://poesiaqueencantavida.blogspot.com.br/

Responder
avatar
3 de fevereiro de 2016 15:15

Oi! Adorei essa entrevista! Eu não conhecia o Luiz, mas achei incrível essa paixão que ele tem pela literatura... Fiquei super curiosa para ler o livo dele, já vou procurar. Beijos

www.eicarolleia.com.br

Responder
avatar
3 de fevereiro de 2016 15:33

Estou muito ansioso para ler esse livro! Tenho tentado voltar minha leitura para mais autores nacionais, já que também pretendo entrar no ramo. E a história envolve tudo o que eu mais gosto na ficção. Gostei muito do seu modo de compor as entrevistas e resenhas, Augusto. Parabéns pelo excelente trabalho no blog!

Responder
avatar
3 de fevereiro de 2016 19:38

Não conhecia o autor e adorei conhecer sobre ele e seu trabalho.
Adoro conhecer mais autores nacionais, pois acho que é muito pouco divulgado.
Temos que dar valor ao que temos.

Lisossomos

Responder
avatar
3 de fevereiro de 2016 20:01

Olá!

Desde que comecei a ler nacionais pude perceber que os autores formados em jornalismo tem uma escrita diferenciada o que eu particularmente adoro!
Não conhecia o Autor mas gostei das perguntas e ótimas respostas. Ele parece ser bem simpático.

Sucesso a ambos!
Beijinhos

Responder
avatar
3 de fevereiro de 2016 23:13

Oie, tudo bem? Gostei bastante da entrevista. É bom termos a oportunidade de conhecer um pouco mais os autores a quem admiramos não é mesmo? Ótimo post. Beijos, Érika

- www.queroseralice.com.br -

Responder
avatar
4 de fevereiro de 2016 15:03

Olá ;D
Gostei bastante da entrevista, pois pude conhecer um pouco mais sobre o autor. Luiz Henrique é super gente boa. Ele apoiou o evento que fiz aqui na minha cidade ano passado.
Abraço
http://interessantedeler.blogspot.com.br/

Responder
avatar
4 de fevereiro de 2016 21:21

Oie
muito legal a entrevista, eu não conhecia o livro ou o autor mas é uma ótima dica para amadores do gênero

Beijos
http://realityofbooks.blogspot.com.br/

Responder
avatar
7 de fevereiro de 2016 04:11

Olá

Eu conheço o autor de eventos no Facebook, não li ainda o livro,mas pretendo em breve,adorei a entrevista, concordo com ele,quando diz que o que determina se o personagem vai ser lembrado pelo leitor é a forma que ele é apresentado,às vezes vejo personagens que tem tudo pra ser cativante e tal,mas que no fim se torna meio monótono e depois de um tempo que você leu o livro,nem lembra mais do personagem.

Bjss

Responder
avatar
7 de fevereiro de 2016 14:22

Olá,
Nunca ouvi falar do autor, mas me lembro de ter visto a capa em algum site que visito! Não posso negar que ele é bonito (haha). Ele parece ser bem simpático e sua situação se repete por tantos outros jovens que dizem que não gostam de ler, na verdade nunca pegaram um livro que se identificassem!

Responder
avatar
12 de fevereiro de 2016 15:39

hahaha ele é mesmo muito bonito :D E Simpático também. Ele escreve muito bem e cria personagens incríveis. Estou ansioso pra ler o próximo livro <3

Responder
avatar
12 de fevereiro de 2016 15:40

Ele faz uma ótima construção dos personagens, acabei até fazendo duas postagens no blog só pra falar de personagens dele. Depois ele ainda fez um cosplay do próprio personagem ( postei aqui também) ficou demais :D

Responder