terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Artigos Relacionados × +

Extraordinário- um livro que honra seu título

Eu já li tanta coisa nessa vida, de bula de remédio a cartinha de amor que nem era pra mim. Tantos livro, dicionários, sites de pesquisa e rabiscos em paredes. Já encontrei tanta poesia em detalhes, li obras que considero grandes, outras nem tanto. 'Extraordinário' não é apenas um livro, é um dialogo intimo entre a alma do leitor e a obra escrita. Irei por partes para que possam compreender-me melhor.

August Pullman, o Auggie, nasceu com uma síndrome genética cuja sequela é uma severa deformidade facial, que lhe impôs diversas cirurgias e complicações médicas. Por isso, ele nunca havia frequentado uma escola de verdade... até agora. Todo mundo sabe que é difícil ser um aluno novo, mais ainda quando se tem um rosto tão diferente. Prestes a começar o quinto ano em um colégio particular de Nova York, Auggie tem uma missão nada fácil pela frente: convencer os colegas de que, apesar da aparência incomum, ele é um menino igual a todos os outros.
Eu sou professor do fundamental I, isso é: dou aulas em todas as disciplinas até o quinto no do fundamental. Não sou nenhum professor Heleno, mas tenho lá meu grande amor e admiração pela profissão, ao qual me dedico ao máximo. Minha introdução no contexto escolar depois de ser aluno foi quando virei estagiário, eu acompanhava crianças com deficiência que foram inseridas na escola regular. Foi amor imediato, passei a fazer os trabalhos da faculdade voltados pro assunto da educação inclusiva. Fiz meu trabalho de conclusão de curso sobe Alfabetização e letramento dos Surdos, depois virei interprete de Libras e por fim agora estou como professor regente em sala de aula. Esse perfil que tracei é pra demonstrar um pouco do meu interesse sobre as dinâmicas escolares e a prática inclusiva.

No livro de R.J. Palacio nos é apresentado o garotinho August, ou Auggie para os íntimos. O livro nos informa que "...August tinha o que parecia um tipo de 'disostose bucomaxilofacial previamente desconhecida causada pela mutação de um autossomo recessivo no gene TCOF1, localizada no cromossomo 5, complicada por uma microssomia hemifacial característica do espectro óculo-auríalo-vertebral'". Muita informação cientifica, não é mesmo? Mas vamos lá, antes quero deixar um aviso que a postagem será imensa e não poderia ser diferente diante a importância do livro, embora a descrição acima trate da parte biológica da coisa ela não nos significa muito pra quem não entende de genética, vou assim passar para a discrição que consta no livro, feita pela personagem que é irmã do Auggie, após isso vou ao que realmente importa: a inserção do garoto na escola regular e seus sentimentos e conflitos.
"Os olhos dele ficam cerca de dois centímetros abaixo de onde deveriam estar, quase no meio das bochechas. São caídos, formando um ângulo acentuado, quase como se alguém tivesse aberto duas fendas diagonais em seu rosto, e o esquerdo é claramente mais baixo do que o direito. E são esbugalhados, porque as cavidades oculares são pequenas demais para comportá-los. As pálpebras superiores ficam sempre fechadas, como se ele estivesse adormecendo. As inferiores são tão caídas que até parece que um fio invisível as puxa para baixo: dá pra ver a parte interna, vermelha, como se a pele estivesse do avesso. Ele não tem sobrancelhas nem cílios. O nariz é desproporcionalmente grande para o rosto, e meio largo. A cabeça dele é afundada nas laterais, no lugar onde deveriam estas as orelhas, como se alguém a tivesse apertado bem no meio com um alicate gigante. Ele não tem maças do rosto. Dois vincos profundos descem dos cantos do nariz até a boca..."
Bom, até aqui já falei um pouco de mim, e do físico do Auggie, mas a história vai muito além disso, ela toca no que há de mais extraordinário no ser humanos: a capacidade de vencer o Mundo. Nosso pequeno garoto estudou por muitos anos em casa, tendo sua mãe como professora. Diversas situações na sua foram difíceis pelo modo que as pessoas lidavam com sua aparência, mas ele crescia e a necessidade de ir pra uma escola de verdade anunciava-se. Seus pais iniciam um trabalho muito bacana de diálogos e visitação para apresenta-lo a ideia da um nova escola. A situação é difícil tanto para ele quanto para os pais, de um lado está ele com todos os seus medos e anseios, medo de como as outras crianças podem lidar com sua aparência, do outro lado os pais que sabem que o filho precisa ir pra escola, mas que também tem os mesmos sentimentos de duvida.

É em uma curta visitação à escola, antes do inicio do ano letivo, que Auggie conhece o diretor, Sr Buzanfa e algumas crianças que estudaram com eles. Já de inicio percebemos que pelo menos uma das crianças não vai tratá-lo bem, o Julian. No retorno pra casa e com mais diálogos Auggie acaba convencido de que deve ir pra escola, embora sinta uma pontinha de raiva de sua mãe por coloca-lo nessa situação- foi 'ideia' dela.

A vida na escola não foi nada fácil para o recém chegado- pra ser honesto eu não acho que seja fácil para ninguém, e olha que eu sou professor, especialmente quando você vai ser apontado por todo mundo sem ter feito nada. Ele já estava até acostumado com os olhares, e desvios de olhares, na rua, mas na escola as coisas são mais complicadas. Há toda umas construção de ideias, diversos conflitos, até que ele comesse a ser de fato inserido no grupos, a principio com poucos amigos e muitos desgostosos da sua presença.

Em muitas situações o livro mostra a 'crueldade inocente' das crianças, Auggie tem uma boa visão sobre ele, ele conta que as crianças fazem coisas cruéis, mas sem perceber a significância disso e sem serem realmente más. Esse ponto é muito interessante, sei que é difícil aceitar a ideia de que criança podem ser cruéis, e é até possível que algum leitor fique arredio com a história por isso. Crianças as vezes tem comportamentos inadequados, muitos vezes gerados por receberem uma educação problemática em casa, algumas poucas vezes o mal comportamento pode vir de amigos, ou até da própria mentalidade da criança. Seja qual for a origem, é difícil de lidar. Dentre todas as situações difíceis apresentadas no ambiente da escola, muitas podem ser atribuídas especialmente ao Julian- que é filho de pais ricos, soberbos e preconceituosos. Porém as outras crianças também protagonizam situações complicadas.

Há uma construção muito boa de todos os personagens e fatos. Alguns personagens se destacam pela capacidade de superação das próprias ideias e medos, outros pelo dom natural de amar e respeitar ao próximo. Encontrei crianças realmente admiráveis e profissionais valiosos (especialmente o diretor e o professor Sr Browne/ pretendo absorve-los para minha prática profissional). É curioso- ou talvez não- como Auggie consegue ser uma ótima criança, com bons sentimentos e um otimismo discreto, porém enorme. Gosto da maneira como ele se permite ver o mundo e vencer os desafios, é realmente impressionante.

O livro intercala capítulos onde os personagens despontam como narradores, mostrando a visão deles sobre os fatos. Dessa maneira vamos percebendo diferentes visões sobre a situação e compreendendo como as pessoas podem ver e sentir de acordo com suas noções de vida e mundo. Diversos dilemas delicados são apresentados, diversas situações que deixam o leitor com aperto no peito e lagrimas nos olhos. O final do livro porém surge com uma reviravolta que me fez debulhar em lagrimas e encher-me de orgulhos. A maneira como a escritora elaborou o livro foi de uma inteligencia e genialidade impar. Embora trate de assuntos tão sérios, elas nos envolve em narrativas compostas de delicadeza e poética, é praticamente impossível ler e compreender Extraordinário sem estar com o coração aberto para aceitar o pequeno Auggie Outro ponto bacana é a quantidade incrível de referencias a grandes obras como Nárnia e Star wars, fica uma sugestão no ar do carinho da autora para com a história.

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Personagens de Star Wars mencionados no livro:

Jango Fett (O personagem Julian usaria a fantasia no Halloween)

 
Boba Feet (Auggie iria com a fantasia, mas decidiu usar a do Pânico na ultima hora)

Jar jar Binks (Auggie e o Médico brincando de comparações quando ele coloca aparelho auditivo)
Lobot (Auggie e o Médico brincando de comparações quando ele coloca aparelho auditivo, Auggie fala sobre ficar parecido com o Lobot e o doutor diz que não seria legal parecer o Jar Jar Binks)

Você irá gostar

Extraordinário- um livro que honra seu título
4/ 5
Oleh

2 comentários

Escrever comentários
avatar
29 de fevereiro de 2016 17:23

Você gostou tanto deste livro que deu uma enorme vontade de ler.

Responder
avatar
29 de fevereiro de 2016 17:24

Estou relendo "Um amor para recordar", para mim é uma das 7 maravilhas também.

Responder