sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Artigos Relacionados × +

Ficha de Personagens: Entre 3 Mundos (Lavínia Rocha)

Gosto muito de apresentar os personagens da história – particularmente me convenceria muito mais de ler um livro pros fichas de personagens do que por resenhas (mas se quiserem ver a resenha do livro é só clicar aqui, mas leiam a ficha primeiro). Os sulistas, que são o povo meio mágico, recebem no 1° ano do ensino médio um livro onde está um personagem que representa a origem de seus dons mágicos, assim quando eu falar que algum tem um poder vindo de um personagem, estou me referindo à esses livros. Deixo também uma dica: quando forem ler o livro, o leiam com o coração aberto. Há neles muitas reflexões além do conforto das palavras escritas com suavidade, mas também entusiasmo. 



Há algumas décadas, o Brasil vivia intensos conflitos entre pessoas normais e pessoas com dons extraordinários. Visando a paz no país, as autoridades o dividiram em dois territórios – o do Norte e o do Sul – e assinaram um contrato proibindo a migração de uma região para a outra.Alisa é de uma família do Norte, mas foi identificada como pertencente ao Sul e precisa esconder a verdade de ambos os mundos. Além de quebrar o contrato toda semana para visitar seus pais, Alisa enfrenta problemas comuns da adolescência: acha seu próprio nome bizarro, gosta do cara errado e é a única pessoa que não percebe o quanto seu melhor amigo é apaixonado por ela.A vida de Lisa (como prefere ser chamada) se transforma completamente com um grande acontecimento no colégio e, agora, ela se vê diante de um desafio envolvido pela descoberta do amor e da sua verdadeira identidade

Os personagens centrais da história são os amigos Alisa, Dan, Sol, Nina e Marco.

Alisa: A protagonista. Ela passou por momentos muito difíceis em sua vida, grandes mudanças costumam cair na cabeça dela de repente sem dar chance para que ela se prepare. Ainda sim ela vai crescendo muito durante a história, aprendendo com os erros, os acertos e as reflexões. Embora não seja divertida como a Sol, ela é bem interessante e acaba ajudando o leitor a desconstruir e construir ideias (mesmo ela não gostando muito de seguir regras). Pra saber quem é o personagem que define seu poder, só lendo, não vou dar um spoiler desses. Identifiquei-me muito com a personagem, mas ela não é minha favorita. Um trechinho sobre ela:
"Eu não era tão baixa quando a Sol nem tão alta quanto a NIna, estava no meio das duas. Meu cabelo era um pouco menos cacheado do que o da Nina, e minha pele era o que as pessoas costumavam chamar de "morena", mas eu me identificava como negra de pele clara desde que o grupo do movimento negro da escola- do qual a Nina faz parte- apresentou um teatro sobre como as expressões do tipo "pardo", "moreno", "marrom-bombom" são usadas pela sociedade para evitar "negro" ou "preto"- como se isso fosse um xingamento, uma ofensa- e, considerando a nossa história escravocrata, fica fácil entender porque muitos pensam assim. 
Dan : é o meu padrão de príncipe ideal (risos) é um nerd de cabelo liso super bagunçado, muito educado e tímido. E bastante desajeitado e têm mania de arrumar os óculos, mesmo que não esteja fora do lugar. Ele claramente gosta de Alisa, o problema é que eles são melhores amigos. E esse ‘gostar’ de uma maneira mais romântica pode ser perigoso para a amizade. Tanto ele quanto Alisa acabam se machucando muito no processo de descobrir-se e alinha as ideias e sentimentos. Ele comete alguns erros na maneira de tratar Alisa, explicados e desculpados, mas não deixam de ser erros. Mas acredito que a postura dele no decorrer da história, e a construção e desconstrução de ideias (amadurecimento), muito importante para a fase da vida que eles se encontram, vai ser muito útil em fazer dele um sujeito cada vez melhor. Com seu dom ativo ele tinha o poder de Guio Pocler e podia fazer seu cérebro pensar seis vezes mais rápido do que qualquer outro ser humana- é curioso porque ele já era bem estudioso e inteligente.

Sol – eu poderia cantar pra ela:
 Você é Luz, raio, estrela e Luar, manhã de Sol. Meu Iaiá meu ioiô!
Sim, ela é minha favorita. Ela “era pequena, tinha o cabelo ondulado e loiro escuro, uma franjinha que cobria a testa e era branca. Às vezes vinha com algumas crises de se achar gorda, mas eu considerava seu corpo ótimo”. Sol (apelido de Sofia) é, pra mim, a melhor personagem da história. Têm uma personalidade especial e um fascínio pela cor amarela, é muito divertida e um pouco distraída. Seu poder (vindo de Anash Ruitec) é de criar ilusões e envolver as pessoas nelas. É um poder ótimo e muito útil num embate- ou pra afastar gente chata. No desenvolvimento da história ela demonstra certa facilidade para controlar seu dom, nos presenteando com uma cena muito boa onde sua habilidade era essencial.

Nina -apelido de Antônia- é talvez a mais madura dos amigos e tem o dom de manipular o fogo e a água (vindo da personagem Kianna Guidiar), também se mostrará muito eficiente em lidar com seu poder no decorrer do livro. Foi descrita como “alta, tinha o cabelo um pouco abaixo dos ombros e cacheado (o mais lindo que já havia visto) e pele negra”. Ela demonstra gostar de Marco, e ele dela, mas eles inicialmente não declaram isso. Ele se mostra uma boa amiga para Alisa, se dedica a amizade e está disposta a falar aquelas duras verdades que são importantes de serem ditas. Acho que é por isso que Alisa confia tanto nela e em sua amizade.
                 
Marco: Têm o dom de enxergar as ondas de som (do personagem Yuki Hay), o que lhe permite identificar inimigos a distancia, podendo assim evitá-los ou mesmo preparar uma emboscada. Também pode perceber animais, ou o barulho de um rio em meio a uma floresta.
“... era ruivo com algumas pontas do cabelo onduladas, tinha uma semibarba-estilo adolescente passando pela puberdade_ e eu às vezes desconfiava que ele só a deixava ali porque um dia Nina havia comentado o quando gostava da barba ruiva de um ator. Ele era o mais alto de todos e o colega de quarto de Dan.”

Entre os personagens secundários alguns foram mencionados uma única vez, ou poucas vezes. Vou mencionar apenas alguns desses:

Amélia: É a diretora do colégio Ruit, no Sul do Brasil- assim a parte onde ficam os humanos meio-mágicos. Aparenta ser uma excelente profissional, muito competente dedicada ao seu trabalho e aos alunos.

Julia: Ela possui o poder de Eloá Bublin e pode reconhecer e modificar o humor das pessoas. Aparece bem no inicio do livro e ajuda Alisa a aliviar um pouco a tensão.

Clarina: é uma moça vinda de uma família com tradição de trabalhar no castelo, ela é incumbida de cuidar da filha dos reis de Denentri.

Sária, Glina e Petros: filhos dos reis de Amerina. São apresentados a Alisa num baile que aconteceu no castelo. Sendo o livro narrado por Alisa, ela nos apresenta cada um:

Sária: “ela era baixa, tinha cabelos anelados e era negra de pele clara, como eu. Tinha m sorriso simpático e aparentava ter a minha idade.”

Glina: “uma menina pequena, com a mesma cor de pele da outra princesa, cabelo curto e liso...”.

Petros: “Parecia ter no máximo uns vinte anos, era alto, negro da pele escura, tinha o cabelo crespo e curto, olhos de cor de mel e uma voz bonita como a de um locutor de rádio”.

Personagens pare detestar:

Acho que todo livro tem algum personagem assim, eles fazem coisas que vão totalmente contra a noção de correto ou justo. Na obra eu contei 4 personagens muito chatos. Um apenas por ser um patético ‘macho’ pegador que se acha outro por ser a vilã da história, mas foram duas pessoas relacionadas a pratica de Ensinar que me deram mais raiva- não por serem tão más assim- mas porque sendo más e responsáveis pelo ensino elas me lembram de alguns péssimos profissionais que eu conheço e que acabam com sonhos e esperanças de crianças e adolescentes de maneira puramente perversa. Vamos à eles:

Caio: Na descrição dele consta “Caio tinha o cabelo cujos caracóis faziam qualquer menina delirar. Era, sem duvida, o mais bonito do 1° ano, e o grande problema era que ele sabia disso.” Alisa tem uma quedinha por esse sujeito, já ate o beijou no passado. Detalhe: ele é irmão de Dan. Caio era um pavão, exalava vaidade e orgulho e tinha as piores notas do colégio. É o típico ‘machinho alfa’ de se acha dono do mundo e das pessoas em volta, e que quando é contrariado mostra-se ainda mais babaca e pode ser até agressivo.

Denna: é a vilã da história. Habita o mundo mágico e faz o tipinho ‘bruxa do Mágico de Óz’. Ela realmente é má, tem muita amargura no coração e uma perversidade que assusta. Foi responsável num tempo passado pelo desaparecido de uma das filhas dos reis de Denentri. Talvez houvesse um tempo em que a bondade e a caridade fizessem parte de sua personalidade, mas ela certamente foi devorada pela ganância e inveja. O que na realidade é bem triste.

Lucia Guine: a supervisora do colégio Ruit me lembra de alguns péssimos profissionais da educação. Ela é viciada em regras, bastante preconceituosa e não mede esforços para mostrar seu desagrado em ter uma nortista em sua escola (Alisa), ela age como aqueles profissionais que rejeitam crianças com deficiência nas escolas regulares e que são capazes de maltratá-los de diversas maneiras criando uma grande pressão psicológica. Sejam quais forem as frustrações da vida da pessoa eu não admito que ela seja assim, especialmente numa função que atua diretamente sobre a educação/formação dos sujeitos.

Louína: tive um desejo imenso de amarrá-la numa cadeira e jogá-la na cova dos leões. Ela é “uma senhora baixa de cabelos brancos e longos”, com uma incrível capacidade de ser mesquinha e insuportável. É uma mestra e deve instruir a filha dos reis de Denitri no uso de seus poderes. Porém seus métodos são torpes, como se para a grosseria fosse uma ferramenta de ensino. O que me deixa ultra-irritado (já que sou professor) e me causa total repúdio.
 ---
Acabou o ódio, voltemos ao amor: 

A família de Alisa:

Catarina e Rodolfo: São os pais de Alisa e seus irmãos. Catarina me pareceu uma mãe generosa e dedicada que quer o melhor pros seus filhos, mas enfrenta a dura situação de se ver longe de Alisa, e isso lhe dói muito. Às vezes ele vai querer Lisa de volta em casa, mas é porque a ama e sente sua falta. Rodolfo é um homem sensato, um bom pai que tenta cuidar bem de sua família. Imagino que também queria a filha de volta, afinal eles a amam, mas ele se esforça para que ela fique bem mesmo estando longe. Eles têm um sistema curiosos de criar os filhos, desde muito cedo com certa independência. Isso é mencionado no livro numa cena onde as crianças estão tomando café e elas têm de se virar sozinhas nessas ações, inclusive a pequena de dois anos.

Beatrizinha: a irmã mais nova de Alisa, têm 2 anos.

Bê (Bernardo) e Bia (Bianca): irmãos gêmeos com a idade de dez anos. São bem levados e divertidos

A família Real de Denentri:

Âmbrida e Honócio: Governavam com muita competência o reino, garantindo que a paz se mantivesse. Ambos tinham um sofrimento na alma: o desejo de rever suas filhas que há muito desapareceram, na época a mais nova tinha apenas dois anos e a outra quinze. Eram pessoas gentis e educadas e tinham uma terceira filha, que ainda era criança quando Alisa e seus amigos chegaram ao reino, a pequena Blena é uma menina muito fofa e com um poder divertido que combina com sua personalidade. Sua cena de aparição:
“Ela era bem bochechuda, tinha o cabelo todo aneladinho e usava um vestido cheio de cores”.

Gostaram? confiram também a entrevista

Você irá gostar

Ficha de Personagens: Entre 3 Mundos (Lavínia Rocha)
4/ 5
Oleh