sábado, 24 de janeiro de 2015

Artigos Relacionados × +

A chegada do Pomo de Ouro (Texto integral)

Galera, vocês conhecem a Historia do Quadribol?Se não, vocês precisam ler " Quadribol Através dos séculos", no livro aprendemos muito sobre a origem desse esporte tão popular no mundo da magia de Harry Potter. Trouxe pra vocês um texto retirado na integra do livro, que fala sobre a origem, um tanto quando curiosa, do pomo de ouro.



Capitulo quatro
A chegada do pomo de ouro

Desde os primeiros anos da década de 1100, a caça ao Golden Snidget ( Pomorim Dourado) gozou de grande popularidade entre bruxos e bruxas. Hoje, esse passarinho é uma espécie protegida, mas naquela época era muito comum no norte da Europa, embora dificilmente fosse visto pelos trouxas, graças à sua habilidade de se esconder e à sua excepcional velocidade. 
Pomorim Dourado

O tamanho diminuto do Pomorim, aliado à sua notável agilidade no ar para fugir aos predadores, meramente aumentava o prestigio dos bruxos que o capturavam. Uma tapeçaria do século XII, conservada no Museu do Quadribol, mostra um grupo saindo á caça do Pomorim. No primeiro trecho da tapeçaria, alguns bruxos carregam redes, outros empunham varinhas e ainda outros tentam apanhar o passarinho apenas com as mãos. A tapeçaria revela que o passarinho era muitas vezes esmagado pelo caçador. No ultimo trecho da tapeçaria, vemos o bruxo que o capturou recebendo uma bolsa de ouro.

A caça ao Pomorim Dourado era censurável por muitas razões. Todo bruxo de bom senso deve lamentar a destruição desses passarinhos amantes da paz em nome do esporte. Além disso, sua caça era em geral praticada em plena luz do dia, o que permitia a um maior número de trouxas avistarem mais vassouras voadoras do que em qualquer outra atividade bruxa. O Conselho de Bruxos da época, porém, não conseguia reduzir a popularidade do esporte- parecia mesmo que o Conselho não considerava o esporte censurável, como veremos mais adiante.

A caça ao Pomorim Dourado finalmente cruzou o caminho do jogo do brejo em 1269 numa partida em que estava presente o próprio chefe do Conselho de Bruxos, Barbero Bragge. Conhecemos o episodio por testemunho de Madame Modéstia Rabnott de Kent enviado à sua irmã. Prudência, em Aberdeen (carta que também se encontra em exibição no Museu do Quadribol). Segundo Madame Rabnott, Bragge levou ao jogo uma gaiola com um Pomorim e anunciou aos jogadores reunidos que daria um premio de cento e cinquenta galeões ( equivalente a mais de um milhão de galeões hoje- se Bragge tinha ou não intenção de pagá-lo já é outra historia) ao jogador que capturasse o passarinho durante a partida. Madame Rabnott explica o que aconteceu a seguir:

Os jogadores levantaram voo como se fossem um só homem, desprezando a goles e os pedraços. Os dois goleiros abandonaram as cestas do gol e se juntaram à caçada. O coitadinho do pomorim voava para cima e para baixo procurando um jeito de escapar, mas os bruxos que assistiam ao espetáculo forçavam a voltar com Feitiços Repelentes. Bom, Pru, você já sabe o que eu sinto a respeito da cala ao pomorim e sabe o que acontece quando perco a paciência. Corri para o campo e berrei: “Chefe Bragge, isto não é esporte! Liberte o pomorim e nos deixe assistir ao nobre jogo do brejo que todos viemos ver!” Mas acredite, Pru, o bruto apenas riu e atirou a gaiola vazia em mim. Bom, ai vi vermelho, Pru, sem a menor duvida. Quando o coitadinho do pomorim voou na minha direção, executei um Feitiço Convocatório. Você sabe como os meus Feitiços Convocatórios são bons, Pru – claro que foi mais fácil fazer a pontaria porque eu não estava montada numa vassoura naquele momento. O passarinho disparou para dentro da minha mão. Enfiei-o dentro das vestes e corri feito louca.
Bom, eles me alcançaram, mas não antes de eu ter me distanciado do publico e liberado o pomorim. O chefe Bragge ficou muito zangado e, por um momento, pensei que ia me transformar em um sapo chifrudo ou pior, mas felizmente os assessores dele o acalmaram e recebi apenas uma multa de dez galeões por interromper a partida. Naturalmente, nunca tive dez galeões na vida, por isso lá se foi minha velha casa.
Em breve irei morar com você, mas me dou por feliz que pelo menos não tinham me confiscado o hipogrifo. E vou lhe confessar mais uma coisa, Pru, o chefe Bragger teria perdido o meu voto se eu tivesse o direito de votar.
Sua irmã que muito a ama,
Modéstia

A atitude corajosa de Mademe Rabnott pode ter salvado um pomorim, mas não pode salvar todos. A ideia do chefe bragge mudou para sempre a natureza do jogo do brejo. Não tardou muito passaram a soltar Pomorins Dourados em todas as partidas de quadribol, e um único jogador de cada time (o caçador) recebeu a tarefa exclusiva de apanhá-lo. Quando a ave era morta, o jogo terminava e o time do caçador ganhava cento e cinquenta pontos a mais para lembrar os cento e cinquenta galeões prometidos pelo chefe Bragge. Os espectadores se encarregavam de manter o pomorim dentro do campo por meio dos Feitiços Repelentes mencionados por Madame Rabnott.

Em meados do século seguinte, porem, o numero de Pomorins Dourados se reduzira de tal modo que o Conselho de Bruxos, então presidido por Elfrida Clagg, que era uma bruxa muito mais esclarecida, declarou o Pomorim dourado uma espécie protegida, proibindo tanto a sua caça quanto seu uso em jogos de quadribol. Fundaram o Santuario do Pomorim Modéstia Rabnott, em Somerset, e procuraram freneticamente um substituto para o passarinho de forma a permitir a continuação do jogo do brejo.

Credita-se a invenção do pomo de ouro ao bruxo Bowman Wright de Godric’s Hollow. Enquanto os times do jogo do brejo em todo o país tentavam encontrar um passarinho para substituir o pomorim, Wright, que era um competente encantador de metais, mergulhou na tarefa de criar uma bola que imitasse o comportamento e os padrões de voo do pomorim. É absolutamente óbvio que ele foi bem sucedido pelos muitos rolos de pergaminho que nos deixou ao morrer (hoje em poder de um colecionador particular), nos quais registra as muitas encomendas que recebeu de todo o país. O pomo de ouro, nome que Bowman deu á sua criação, era uma bola do tamanho de uma noz com o peso exato de um pomorim. Suas asas prateadas foram dotadas de juntas rotativas como as do passarinho, que lhe permitiam mudar de direção com a velocidade de um relâmpago e a precisão de seu modelo vivo. Ao contrario do pomorim, no entanto, o pomo fora enfeitiçado para permanecer dentro dos limites do campo. Podemos dizer que a introdução do pomo de ouro encerrou o processo iniciado trezentos anos antes no brejo de Queerditch. Nascia realmente o quadribol.

Rowling, J.K. ( Joanne K). –

Quadribol através dos séculos/ Kennilworthy Whisp; tradução de Lia Wyler. – Rio de Janeiro: Rocco, 2001, p. 21 a 25. 

Você irá gostar

A chegada do Pomo de Ouro (Texto integral)
4/ 5
Oleh

1 comentários:

Escrever comentários
avatar
24 de janeiro de 2015 16:24

Ah, já li esse livro, é puro amor saber um pouco da história do esporte do nosso querido Harry *----*

http://agarotasecreta14.blogspot.com.br/

Responder