quarta-feira, 10 de junho de 2015

Artigos Relacionados × +

O Sol escolhe para quem Nasce?

O livro chegou pra mim há alguns anos, não comprado, mas doado. O texto é escrito como peça teatral. Eu já tinha lido Sonhos de Uma noite de Verão e MacBeth quem vêm em formato de teatro, então tive facilidade com o texto ( MacBeth uma das minhas historias favoritas de todos os tempos)


O titulo por se só traz um questionamento “O Sol escolhe pra quem Nasce?”. Obviamente sabemos que não, ele simplesmente nasce, não escolhe, não julga, não condena, apenas brilha e aquece à todos. Afinal, a quem cabe julgar? Judicialmente nossos sabemos quem, dentro da sociedade somos submetidos á leis e por convenção aceitamos isso, da mesma maneira que aceitamos punição aos transgressores. Nem sempre a lei é justa, isso é um fato. Basta lembrarmos-nos das ditaduras onde os que se declaram contra o regime são torturados e mortos. Ao mesmo tempo em que a Lei é mantenedora da sociedade ela pode ser seu caos e se dar ao absurdo. Um exemplo de absurdo dentro das leis é a frequente ação da chamada bancada evangélica que visa atacar minorias e criar leis abomináveis ou derrubar leis positivas. Vale lembrar que o Estado é Laico e por isso entende-se que a religião deve ser respeitada, mas não comandante das leis. É como cantou Renato Russo “O Sol nasce pra todos, só não sabe quem não quer...”.

A arte do livro é simples e agradável aos olhos. Ainda no inicio nos deixa mais uma frase reflexiva “ O dia que o Sol escolher para quem nascer, a humanidade será extinta”.

A trama do livro se da dentro de um seminário. Ali conflitos sobre sexualidade e discussões sobre os ‘segredos’ do seminário são amplamente desenvolvidos. Dois personagens centrais mantêm as discussões. Vemos inicialmente um jogo onde um deseja fazer o outro se abrir, o que logo se transforma numa historia de ambição, canalhice e chantagem. De algum modo fica aquela mensagem de não confiar seus segredos a qualquer um, especialmente alguém que mal se conhece. O livro nos oportuniza através dos tantos dados e pontos de vista que apresenta traçarmos nossas próprias reflexões.


Este livro é produto cultural resultante do Fundo Municipal de Cultura de Betim, sendo assim sua venda é proibida.

-----

Sobre o Autor:

Joaquim Pires dos Reis, betinense de coração, é graduado em Artes Cênicas pela Universidade Federal de Ouro Preto e Pós-Graduado em Arte Educação pela PUC/MINAS.

Como arte educador trabalhou nas cidades de Ouro Preto, Mariana, Belo Horizonte. Leciona em Contagem e Betim.

No decorrer de sua carreira artística, desenvolveu trabalhos como ator, diretor e sonoplasta. Participou de Festivais de Inverno de Ouro Preto ( UFMG-UNIBH-UFOP), bienais de UNE, Festival Estudantil de Teatro-SESI, Circuito Telemig de Cultura, Congresso Internacional Arte Sem Barreiras, dentre outros. 

Na dramaturgia escreveu:

· O Sedutor do Lapinha

· O Pastor de Ovelhas

· O Buquê da Noiva

· Linguagem

· Vázea das Flores

· A Casa 42

· Inhotim, a Revolta de Monalisa

· Lambada

· Boto de Minas Gerais

No Romance escreveu: 

· Antônio e Afonso

Trilogia de Ficção: 

· Os Defensores do Futebol

· Os Defensores do Futebol – O resgate de Régis

· Os Defensores do Futebol- A Batalha Final

Contato com o autor: 


· Artedramatica.gratisblog.info

Você irá gostar

O Sol escolhe para quem Nasce?
4/ 5
Oleh

1 comentários:

Escrever comentários
avatar
10 de junho de 2015 20:42

Meu tio tem esse livro, já tive a curiosidade de ler, mas nunca o li. Bem interessante está Resenha!
http://mylittlerworldma.blogspot.com.br/

Responder