terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Artigos Relacionados × +

Os Senhores do Norte (Crônicas Saxônicas- Livro 3)

Bernard Cornwell não recebera o titulo de gênio atoa. o consagrado autor já teve suas obras publicada em mais de 16 idiomas, com milhões de exemplares comercializados em todo o mundo. A genialidade de Cornwell é gritante e indiscreta. A maneira como ele conduz a trama, a forma como cria os personagens e acima disso o modo como ele mescla a realidade e a ficção. O livro 3, assim como os anteriores trás no inicio o mapa que define as áreas abordadas na história e ao fim do livro encontramos mais uma vez a Nota Histórica, onde o autor explica quais são os fatos reais e quais foram seus acréscimos para essa fantástica história. É um trabalho de arte, minucia e extrema criatividade.
Depois de lutar ao lado do rei Alfredo na batalha que assegurou Wessex como único reino independente da Inglaterra, Uhtred decide retornar à Nortúmbria, em busca da irmã de criação. No entanto, o jovem encontra um cenário desolador, uma aterra assolada pelo caos e barbárie. Ele se alia então a Guthred, ex-escravo determinado a se tornar rei da Nortúmbria. Juntos, seguirão até Dunholm, em busca da cabeça do senhor viking Kjartan.


Em Os senhores do Norte veremos as fiandeiras do destino podem ser perversas e ao mesmo tempo surpreendentes com Uhtred. Como o titulo do livro já sugere, Uhtred retorna a Nortumbria, mas a encontra dominada justamente por seus antigos inimigos Kjartan e Aelfric. Mais uma vez ele enfrentará a traição de pessoas em que ele confiava integralmente, terá acendida uma chama de paixão em seu coração; chama que terá de manter nos anos que talvez sejam os mais sofridos sua vida. A jornada agora inclui os anos de escravidão e humilhação. Uhtred, guerreiro que é, foi lançado na trama ardilosa do destino e terá de mostrar mais uma vez seu valor e poder, mas também a temperança. Teve de enfrentar os obstáculos perversos que caíram sobre ele e vencer, de maneira inesperada os anos de escravidão. Hildegyth (Hild) teve um papel decisivo no destino de Uhtred. Em alguns momentos Uhtred passou-se por um leproso e voltou aos passos de sceandugeng, um caminhante da noite. Embora ele seja a maior parte do tempo um típico guerreiro com sangue fervendo nas veias e desejo pelo jubilo da batalha, Uhtred garante a continuidade de suas vitórias com estratégia; Ele lutou ao lado do temível e enorme Steapa (atualmente meu personagem bruto favorito) e de Ragnar nas batalhas contra Kjartan e Ivarr; lutas forjadas em ódio e vingança onde a inteligência se mostrou peça chave. Ás vezes comete falhas, mas seu pensar e sua maneira de atacar seja na surdina ou num embate corpo a corpo lhe fazem merecer os poemas feitos pelos skauds! Thyra Ragnarsdottir, irmã de Ragnar, que fora conhecida de Uthred na infância, retorna a história de maneira inimaginável, no que foi para mim um dos melhores momentos do livro.

Surpreendi-me com a crescente presença da magia cristã e pagã, cada vez mais diversa e inacreditável. O sobrenatural, a possibilidade de forças superiores estarem mesmo comandando a vida de todos, ou como Uthred nos diz, das fiandeiras do destino estarem brincando com nossas vidas, tornou-se ainda mais significativa. O destino é inexorável. Os personagens apresentados e desenvolvidos nesse livro me fazem coloca-lo como um dos melhores da série até então. Imagino, porém, que isso deve ser previsível, e aguardo que cada um dos livros que se seguem seja ainda melhor que o anterior.

Confira também as resenhas dos livros anteriores:

1- O ULTIMO REINO
2- O CAVALEIRO DA MORTE

Você irá gostar

Os Senhores do Norte (Crônicas Saxônicas- Livro 3)
4/ 5
Oleh

2 comentários

Escrever comentários
avatar
26 de janeiro de 2016 13:09

Augusto, tenho a maior vontade de ler As crônicas Saxônicas, mas ainda não tive oportunidade. E lendo seu resenha tive mais certeza ainda que preciso ler, e urgente. Algo que me chamou bastante atenção foi o conceito de "fiandeiras do destino". Juro pra você se eu fosse escrever um livro do gênero fantástico eu gostaria que tivesse algo assim.

Beijos!

Responder
avatar
26 de janeiro de 2016 15:45

Hey, Nilda. Dá pra conferir também os livros anteriores, eu já postei no blog. Eu tenho um verdadeiro fascínio pelo autor de Cronicas Saxônicas, o Bernard Cornwell. Recentemente adquiri As Aventuras de Artur ( também dele) e pretendo comprar todos os livros publicados dele até o fim do ano( mais de 40). Vários elementos da cultura nórdica estão fortemente presentes em Cronicas Saxônicas, assim como a ascensão da religião Cristã no território.

Responder